2008/07/04

A ESTRATÉGIA DO AUTOCLISMO



A Assembleia Municipal de Loures rodopiou ontem sobre o novo regulamento de taxas e tarifas dos Serviços Municipalizados de Loures. A necessidade do novo regulamento decorre das alterações legislativas sobre estes serviços. Entre as alterações obrigatórias, está o fim da cobrança da taxa de disponibilidade ou aluguer, como é conhecida pelas pessoas. Em Loures, essa taxa é de cerca de 7,54, poderia um incauto pensar que com o fim da tal taxa, os consumidores veriam a sua factura ficar menos pesada. Engano! No baralhar e dar novo, parece que contas feitas, cada consumidor acabará por pagar ainda mais do que anteriormente.
Contudo, nada disto ficou muito claro, porque o Presidente da Câmara Municipal de Loures, também Presidente do Conselho de Administração dos SMAS, pouco percebia o conteúdo da proposta que estava a apresentar, reconhecendo que nem sequer sabia o efeito real que terá o novo esquema de taxas e tarifas sobre os consumidores. Saber, sabe apenas que só pelo facto de cada consumidor ir pagar o serviço mensalmente, terá de pagar mais 0,17€ em cada factura.
Mas para já, esse aumento que é certo, poder ser evitado pelos consumidores, se estes puxarem o autoclismo menos duas vezes por mês. Palavra do Presidente!

2 comentários:

Saloio sim! Um saloio não! disse...

Ouvir contar as estórias deste senhor, duplamente presidente, anda a fazer-me mal à saude. Desta vez acabei de ler este post e fiquei com diarreia. Assim sendo não posso começar já a poupar nas descargas.
Meu caro Marquês, rogo-lhe no entanto, que não se preocupe com a saúde dos seus leitores e continue a postar. Temos o direito de estar ao corrente das diarreias verbais das pessoas que decidem acerca dos nossos autoclismos.

Anónimo disse...

Também quero ter o direito de ROUBAR impunemente.
Os SM de Loures com Taxas.
A EDP pretende pôr os cidadãos comuns, bons e regulares pagadores, a pagar as dívidas acumuladas por caloteiros clientes da EDP, num total de 12 milhões de euros e, para o efeito, a entidade reguladora está a fazer uma consulta pública que encerra em meados de Julho. Em função dos resultados desta consulta será tomada uma decisão. Esta consulta não está a ser devidamente divulgada nem foi publicitada pela EDP, pelo menos que eu saiba. A DECO tem protestado, mas o processo é irreversível e o resultado desta consulta irá definir se a dívida é não paga pelos clientes da EDP. A DECO teme que este procedimento pegue e se estenda a todos os domínios da actividade económica e a outras empresas de fornecimento de serviços (EPAL, supermercados, etc.). Há que agir rapidamente. (Não)Basta enviar um e-mail com a nossa opinião. Peço que enviem o mail infra e divulguem o mais possível, para bem de todos nós cumpridores.

Enviar para: consultapublica@erse.pt

Exmos. Senhores:

Pelo presente e na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, venho manifestar e comunicar a Vsª Exsª a minha discordância, oposição e mesmo indignação relativamente à "proposta" – que considero absolutamente ilegal e inconstitucional – de colocar os cidadãos cumpridores e regulares pagadores a terem que suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.

Com os piores cumprimentos,

BI Nº__ de __ do Arquivo de Identificação.