2008/05/02

TAMBÉM EU VOTARIA CONTRA


Recentemente a Direita chumbou, na Assembleia Municipal de Lisboa a atribuição do nome de Rogério Ribeiro a uma das Ruas da Cidade. Não seria um nome oportuno! Era o nome de um homem de paz, de um dos mais notáveis artistas plásticos contemporâneos.
Hoje contudo, apresentou e aprovou, na Assembleia da República, o voto de pesar pelo desaparecimento do Cónego Melo, uma personagem sinistramente beata, que até entre os sectores progressistas da Igreja causava calafrios. Com a sua morte, o país não ficou mais pobre, nada de bom no nosso passado recente lhe é devido.
Lamenta-se a morte, claro. A morte de alguém não deve ser motivo de regozijo de ninguém, mas as honras públicas devem estar reservadas àqueles que a colectividade quer mostrar como exemplo. Por isso, não se justifica o voto do PS na Assembleia da República. Não é verdade que a aprovação deste voto de pesar não aqueça nem arrefeça. Quanto ao visado, frio está e frio permaneça, porque fria e cruel era a sua visão do mundo.

Em suma, a Direita mostra a sua raça e o PS a sua desorientação!

2 comentários:

herético disse...

meu Caro Marquês.
um texto "heretico" . vou colocar "relogiodependulo"...

abraços

IDEAL COMUNISTA disse...

Pois, mas houve uns deputados que, surpreendentemente, ou talvez não se isso significar acomudação às instituições do regime, que não se levantaram da sala. Muitos comunistas e democratas que viram as suas casas incendiadas, que foram expulsos das suas terras e dos seus empregos, que viram as sedes dos seus partidos e sindicatos atacadas, que foram vítimas da agressão física pelo MDLP - de quem o cónego Melo se reconhecia ter pertencido e apoiado, devem ter ficado com uns enormes calafrios na espinha. E é se ele se calarem!