2008/08/31

A MORTE NÃO É NADA



"A morte não é nada.
Eu somente passei para o outro lado do caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei a ser.

Chamem-me como sempre me chamaram.
Falem comigo como vocês sempre fizeram.
Não utilizem um tom solene ou triste,
continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.

Que o meu nome seja pronunciadocomo sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.

A vida significa tudo o que sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de vossos pensamentos,
agora que estou apenas fora de vossas vistas?

Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho...
Vocês que aí ficaram,
sigam em frente,
a vida continua linda e bela como sempre foi."

Santo Agostinho




Numa tarde de tristeza e sem vontade de escrever, tomei a liberdade de transcrever o texto lido pelo Padre Ricardo nas cerimónias fúnebres do primeiro homem a quem tive vontade de chamar Camarada.

Até sempre, Adão!

6 comentários:

Anónimo disse...

Adãp está mal escrito. É Adão. Um abraço de amizade à familia enlutada e uma enorme tristeza me envadiu hoje naquele cemitério. A ele devo-lhe muito. Muitissimo. Atá já amigo Adão Barata.

A AFILHADA FRANCESA DO MARQUÊS disse...

Caro amigo:
obrigada pelo reparo. Já está corrigido.
Já agora e em jeito de retribuição - invadiu.

A AFILHADA FRANCESA DO MARQUÊS disse...

E até já.

Anónimo disse...

Obrigado pelos reparos. As forças hoje estão-me a faltar e a escrita não me sai bem. Enfim, vou dormir e amanhã a vida continua sempre com o Adão na minha memória.

vanessa disse...

Das melhores pessoas que conheci. Mais que um padrinho, um pai...

Pedro Barata disse...

Um obrigado sincero e sentido pela amizade e carinho que os amigos sempre manifestaram, especialmente neste momento de dor.

A família.